quinta-feira, 5 de abril de 2012

Don't forget me.

Já a muito que não escrevia para ti, mas hoje volto a fazê-lo com base no meu sofrimento por já não estares comigo.
Sei que um dia ainda te vais lembrar de mim, e os números da tua agenda passarão claramente à tua frente e não terás nenhum para marcar , talvez até tentes o meu, mas até lá posso não te atender ou talvez já nem seja o meu numero. Vais tentar chamar alguém, mas não vai haver ninguém que largue tudo para te ir dar um abraço. Nessa fracção de segundo quando os teus pés pisarem o chão, vais-te lembrar do meu carinho e do meu sorriso inocente. Virão súbitas memórias dos nossos momentos, abraços, ou até do silêncio que havia quando estavas deitado nas minhas pernas. Só haverá uma musica a repetir no teu pc: a nossa. E num novo momento vais sentir um aperto no peito, uma pausa na respiração e vais torcer bem forte para ter o nosso mundo de volta. Vais estar deitado na tua cama, a ver televisão, como muitas das noites que aí passas, vais ouvir a chuva a cair e vais sentir um imenso vazio por não teres o teu grande amor para compartilhar esse momento. Não terás ninguém para brincar contigo, admirar o pôr-do-sol assim como fazíamos todos os dias à tarde, ou até mesmo partilhar as tuas histórias com um grande entusiasmo como fazias sempre. O nome disso é SAUDADE, aquilo que eu tinha tanto e te falava sempre. Quando finalmente bateres a minha porta, ela estará  trancada ou aberta , mostrará uma casa vazia e os teus olhos vão ensinar-te o que são lágrimas, aquelas que eu dizia que ardiam tanto. Vais lembrar-te da minha inocência que ria de tudo o que dizias e do meu jeito de te tentar fazer feliz. O nome do enjoo que vais sentir será ARREPENDIMENTO, e a falta de fome será TRISTEZA, a mesma que eu senti por 8 meses. Um dia quando te deitares e olhares para o tecto do teu quarto escuro , vais-te lembrar que as estrelas podiam estar lá, para iluminar todas as tuas noites frias, mas tudo o que vais ver é a escuridão. Quando os dias passarem e eu não te ligar, quando nada de bom de vai acontecer e ninguém te olhar como eu olhava, vais encontrar a SOLIDÃO e vais ver que diante de tudo isso, alguns dos meus defeitos poderiam ter sido perdoados.

Sem comentários:

Enviar um comentário